Culturalmente, há muito tempo viemos nos comportando como se o ciclo de nossa vida fosse de um ano. Em aproximadamente 700 a.c. iniciamos a contagem de calendário que acompanha o ciclo luni-solar, que foi mensurado inicialmente pelos atenienses e posteriormente incorporado pelos romanos e então oficializado em 1582 pelo papa Gregório XIII. Desde então passamos a medir o tempo em anos, a acompanhar nossa idade em anos, a estudar para passar de ano e a fazer orçamentos e pagar impostos baseado em ciclos contábeis de um ano.

E demorou bastante até decidirem quando seria o início desse ciclo anual. O primeiro dia do ano já foi 1 de Agosto , 15 de Maio, 15 de Dezembro, 1 de Outubro, 1 de Julho, 1 de Maio e 15 de Março. Somente em 153 a.c. que o cônsul romano Quintus Fulvius Nobilior decidiu trazê-lo para 1 de janeiro para que pudesse facilitar seu ataque a rebeldes da Hispania. Ataque mal sucedido pois os romanos tiveram perdas pesadas e tiveram que fugir. Ou seja, toda a população do mundo hoje comemora a passagem de ano no dia 1 de janeiro graças a uma conveniência militar fracassada pensada por um cônsul romano semi-desconhecido. Mais um daqueles paradigmas que todos fazemos e não sabemos porquê.

Mas a primeira grande curiosidade que surge é: se fazem só 2.700 anos que nós medimos nossa vida em anos, como nós fazíamos antes? E quando falamos antes, falamos de um tempo de mais de 200 mil anos, que é o tempo que o Homo Sapiens vem povoando essa terra. Será que a vida antes do calendário era uma vida inóspita e sem sentido?.. Ou será que não?.. Será que tínhamos uma vida boa de ser vivida?… Bom, para responder esta pergunta precisamos analisar um pouco a vida daqueles que ainda vivem sem estar presos a um calendário. E felizmente temos algumas tribos caçadoras-coletoras na humanidade que ainda vivem da mesma maneira que viviam a 50 mil anos, como os iKungs e Bushmen do Kalahari, em Botswana na África. Antropólogos que acompanharam estas e outras tribos caçadoras-coletoras no mundo, descobriram que o único ciclo que eles estão preocupados em acompanhar é aquele que o próprio corpo consegue mensurar e acompanhar sem a necessidade de cálculos matemáticos. Ou seja, o ciclo que vai de um nascer do sol até o próximo nascer do sol. Este ciclo é possível acompanhar pela posição do sol, da lua, das estrelas no céu, e é também possível acompanhar pelo ciclo de sono, descanso e despertar que é demandado pelo nosso corpo físico.

Parece que o nosso corpo físico, ao longo de milhões de anos de evolução, foi se adaptando tão plenamente ao ciclo diário que passou a funcionar de acordo com esse ciclo. Além do ciclo de sono, diariamente temos que nos alimentar, temos que matar a sede, temos necessidades fisiológicas. Enfim, apesar de já estarmos acompanhando a um bom tempo o calendário anual, nosso organismo definitivamente não se adaptou a ele. E nem seria possível !.. O resultado de milhões de anos de evolução não se modifica em um tempo tão curto como 2700 anos. É óbvio que não observamos nesse período nenhuma mutação genética que fizesse nosso organismo, por exemplo, sentir que é o dia de nosso aniversário, ou perceber que é o dia da mudança da estação primavera para a estação verão, ou muito menos notar que chegou a hora de fazer a declaração de nosso imposto de renda. Tudo isso só ocorre porque estamos acompanhando um calendário, e porque as pessoas ou a tecnologia não nos deixam esquecer ou perder.

E nem seria possível ocorrer uma mutação genética em nosso organismo (a não ser que mudássemos de planeta e ficássemos alguns milhões de anos por lá) porque o ciclo diário não parou de existir. O sol continua nascendo todos os dias, portanto não existe a menor necessidade de nosso organismo adaptar-se a qualquer outro ciclo.

Vale a pena então refletirmos sobre o quanto realmente nós conseguimos nos prender, ou nos ater, a sonhos, planos e metas que estabelecemos para o ciclo de um ano. Coisas do tipo: “Esse ano vou emagrecer”, “vou mudar de emprego”, “vou empreender”, “vou me casar ou me separar”, “vou ter filhos” !!.. São decisões muito bonitas que um grande número de pessoas faz na passagem de ano, e que podemos arriscar dizer que a chance de se converter em realidade é praticamente aleatória. Ou seja, não tem regra, uns alcançam, e outros não.

Se existe algum poder real que faz as pessoas caminharem na direção de mudanças efetivas em suas vidas, esse poder não está atrelado a um desejo de mudança em ciclo anual, que nosso organismo nem mesmo consegue compreender. Esse poder só existe no ciclo diário. O que significa que, se HOJE eu fizer alguma coisa diferente em minha vida, em algum momento futuro eu terei uma chance muito maior de obter um resultado também diferente para minha vida.

Nosso organismo não entende quando falamos que vamos fazer algo no período de 1 ano, portanto colocar um horizonte anual para nossos planos é o mesmo que fazer um pedido jogando uma moedinha na fonte. Ou seja, é um sonho bonitinho que, fantasiosamente, gostamos de acreditar que vai acontecer. É claro que para alguns acontece, mas o que faz acontecer não é o desejo feito na passagem de ano, mas sim as ações que a pessoa começa a realizar algum dia daquele ano. Pode até ser que a pessoa começou a realizar essas ações porque se comprometeu na passagem de ano. Mas não precisa ser assim. A pessoa pode se comprometer em qualquer dia. Pois nosso organismo entende perfeitamente quando falamos que vamos fazer algo HOJE, e está sempre preparado para agir e realizar alguma coisa quando colocamos o DIA como nosso horizonte de realização.

Isso faz também com que perca o sentido essa crença de que decisões importantes na vida devem ser tomadas no dia da passagem de ano. Só um dia por ano pra isso ?.. Muito pouco né… Qualquer dia é dia ! O momento para tomarmos decisões e realizarmos ações importantes em nossa vida é cada um dos 365 dias do ano. Ao conferirmos esse nível de importância para cada dia, passamos também a viver muito mais intensamente o nosso momento presente. E quanto mais intensamente vivemos este momento presente, mais nos sentimos plenos com nossa vida.

O calendário é útil para nos organizar, para celebrar, para nos conectar com pessoas. Mas para fazer o que é importante em nossa vida, definitivamente não precisamos dele. Precisamos sim acordar e agir, HOJE… Porque o ciclo que nosso organismo entende é o ciclo do dia, esse belo dia que se apresenta para nós !!!

Então feliz ciclo novo, todos os dias !!!